Webnode

Câimbras

 

CÂIMBRAS UM PROBLEMA COM SOLUÇÃO

 

    Câimbras noturnas, câimbras nas pernas, câimbras frequentes, banana para câimbras... Neste texto explicaremos o que é a câimbra, porque ela surge e como fazer para evitar o seu aparecimento.

    A câimbra, é um espasmo ou contração involuntária dos músculos, normalmente muito dolorosa, que pode durar de alguns segundos ou até vários minutos. A câimbra pode atingir um ou mais músculos de uma vez.

Qualquer músculo de controlo voluntário pode apresentar essas contracções. Os mais comuns são:

- Gemelares (barriga da perna).
- Músculos anteriores e posteriores da coxa.
- Pés.
- Mãos.
- Pescoço.
- Abdomen.

Causas das câimbras

Acredita-se que a causa básica da câimbra seja uma hiperexcitação dos nervos que estimulam os músculos. Esta normalmente é causada por:

- Atividade física vigorosa (câimbra pode ocorrer durante ou após o esforço físico);
- Desidratação (importante causa em idosos e em quem usa diuréticos);
- Alterações hidreletrolíticas, principalmente deplecção de cálcio e magnésio;
- Gravidez (normalmente a câimbra é secundária a níveis baixos de magnésio);
- Fractura óssea (como autoproteção, os músculos ao redor da lesão contraem-se involuntariamente);
- Alterações metabólicas como diabetes, hipotireoidismo, alcoolismo e hipoglicemia;
- Doenças neurológicas como Parkinsin, doenças do neurônio motor ou doenças primárias dos músculos (miopatias);
- Insuficiência venosa e varizes nas pernas;
- Longos períodos de inatividade (ficar sentado em posição inadequada, por exemplo);
- Alterações estruturais, como pé chato e o genu recurvatum (hiperextensão do joelho);
- Hemodiálise;
- Cirrose hepática;

- Deficiência de vitamina B1, B5 e B6;
- Anemia.

    Muito se comenta sobre deplecção de potássio como causa de câimbras. Na verdade, a hipocalemia (baixos níveis sanguíneos de potássio) pode até causar contrações involuntárias, mas o seu principal sintoma é fraqueza ou paralisia muscular. O cálcio e o magnésio são causas mais importantes e comuns de câimbras.

Algumas drogas podem ser a causa das câimbras:

- Diuréticos, principalmente a furosemida (Lasix®).
- Donepezila (usado na doença de Alzheimer).
- Neostigmina (usada na miastenia gravis).
- Raloxifeno (usado para osteoporose e câncro de mama).
- Remédios para hipertensão, principalmente a nifedipina (Adalat®).
- Broncodilatadores para asma como Salbutamol.
- Remédios para colesterol como o clofibrato e lovastatina.

    Em pessoas acima dos 60 anos, câimbras frequentes podem ser sinais de aterosclerose, que leva à diminuição da circulação sanguínea para determinado grupamento muscular por obstrução do fluxo por placas de colesterol.


Como evitar as câimbras?

    Para se evitar a câimbra deve ser realizada uma boa sessão de alongamento antes e após exercícios, principalmente para sedentários. Também são importantes uma boa hidratação antes, durante e depois do esforço e evitar exercícios físicos em dias muito quentes.

    Existe um grupo de pessoas que apresentam câimbras noturnas, principalmente nos membros inferiores (panturrilha e pés em geral). É habitual estas pessoas apresentam a chamada câimbra noturna idiopática (idiopática significa sem causa aparente). São indivíduos normalmente com história familiar de câimbras e que não se consegue detectar nenhum tipo de alteração que justifique o quadro. Nesse grupo, recomenda-se um programa de alongamento 15 minutos antes de dormir, dar preferência para alimentos ricos em cálcio e magnésio, manter uma boa hidratação ao longo do dia e evitar o sedentarismo. Algumas pessoas precisam de sapatos especiais que evitam contrações involuntárias e câimbras nos pés.

    Os alongamentos parecem ser o melhor método para prevenir câimbras, principalmente quando ocorrem nas pernas. É importante salientar que não vai ser de um dia para o outro que o alongamento trará resultados. É preciso pelo menos algumas semanas com alongamentos diários para o músculo ter mais resistência às contrações involuntárias.

    Hidratação adequada e alongamentos frequentes resolvem os problemas da maioria das pessoas com câimbras idiopáticas. O melhor modo de controlar o grau de hidratação do corpo é através da cor da urina. Pessoas desidratadas apresentam urina muito amarelada e normalmente com cheiro forte, enquanto que um corpo hidratado produz urina clara e sem cheiro.

    Existem alguns medicamentos, como vitamina E, complexo B, verapamil, cloroquina e gabapentina que podem ajudar em casos específicos, mas que só devem ser tomados após avaliação médica.

    A água tônica possui pequenas quantidades de quinina, uma substância que também parece prevenir câimbras. Existem relatos de melhora das câimbras noturnas após alguns dias ingerindo água tônica, durante a noite.

Câimbras na hemodiálise

    Pacientes com insuficiência renal em hemodiálise são um caso à parte. A câimbra é um sinal de redução do fluxo sanguíneo para o músculo acometido. Em geral, ocorre por retirada em excesso de líquidos durante as sessões de hemodiálise ou por doses elevadas de anti-hipertensivos. Pacientes com câimbras que não usam anti-hipertensivos devem aumentar seu peso seco (peso após a sessão de hemodiálise). Aqueles com câimbras, mas que usam remédios para hipertensão, devem tentar suspendê-los ou reduzir a dose, mesmo que a pressão ainda esteja mal controlada.

Banana evita câimbras?

    Essa história da banana é um pouco confusa. A fruta é rica em potássio, carboidratos (glicose) e água. Durante o esforço físico existe uma grande demanda dos músculos por energia (glicose). Depois de algum tempo de exercício o músculo depleta as suas reservas de glicose e passa a utilizar outros meios para gerar energia. Uma das causas de câimbras é o acumulo de ácido láctico, que é o "lixo" metabólico após a geração de energia com baixa utilização de glicose. Uma boa hidratação ajuda a "lavar" esse excesso de ácido láctico da circulação e evita as câimbras.

    Portanto, teoricamente a banana ajuda porque repõe os níveis de potássio, hidrata e fornece energia (glicose) para os músculos. Isso é verdade para câimbras induzidas por exercício. Porém, essa dica não funciona com muita gente. A resposta parece ser individual, mas como banana não faz mal a ninguém, não custa testar.

    Resumindo, as câimbras, aínda que sejam uma condição temporal, podem prejudicar o seu esforço numa prova tipo maratona ou ultra-maratona.

 

Então como podemos evitar ser vitimas das câimbras pela compressão de como e porque ocorrem? Eis as instruções a seguir:

Ponto 1: Conhecer a causa. Alguns corredores atribuem as câimbras devido terem comido demasiado perto da prova. Além do mais, correr mais forte ou mais rápido do que estamos acostumados, pode causar câimbras.

Ponto 2: Evitar as câimbras pelo calor. Estas são causadas pela perda de água e sódio do suor que não se substitui, em especial durante o exercício em climas muito quentes e húmidos.

Ponto 3: Observe as suas sapatilhas. As sapatilhas que são demasiado rigidas na parte anterior do pé ou demasiado apertadas na parte dianteira do pé podem causar câimbras.

Ponto 4: Alongamento. Assegure-se que os músculos das pernas, especialmente os isquitibiais, se mantêm flexíveis ao alongar.

Ponto 5: Cuide da sua dieta. As câimbras podem ser sinal de uma deficiência na dieta de potássio, sódio, cálcio ou magnésio.

Ponto 6: Não se compare com os outros. Alguns corredores são simplesmente mais propoensos ás câimbras que outros.

 

Bons Treinos. Boas Provas. Sem Câimbras.

 

Rua Campos